Hangouts ganha site próprio

Que o Hangouts conquistou seu espaço é um fato e como a Google quer ganhar ainda mais espaço nesse mercado, acaba de lançar um site dedicado para o Hangouts que oferece tudo que você espera do serviço de mensagens no computador.

Nela é possível trocar mensagens instantâneas, criar grupos de conversas e realizar chamadas de voz e vídeo. 

O site do Hangouts traz belas imagens de fundo que mudam de tempos em tempos. No canto esquerdo da tela, você tem um painel de navegação para mudar entre as conversas, uma lista de contatos telefônicos, e seus contatos do chat.


A parte principal da tela possui três botões grandes para iniciar um Hangout em vídeo, uma ligação de voz ou mensagem de texto, no estilo do Google+. Além disso, há os links de sempre para a sua conta Google e outros serviços da empresa no canto superior direito.

iTunes Festival vira Apple Music Festival

Já estamos na metade do mês de agosto e era esperado pelos fãs da Apple que gostam de musica o anúncio do tradicional iTunes Festival, evento promovido pela Apple todos os anos na cidade de Londres, com vários shows de grandes artistas todos os dias do mês.


O evento já acontece a 8 anos e esse ano foi batizado Apple Music Festival. Continua acontecendo em Londres mas teve a sua duração reduzida de 30 para 10 dias, de 19/09 a 28/09. O que pode indicar uma ideia da Apple de realizar o festival em outros países, como já aconteceu com o iTunes Festival SXSW nos Estados Unidos em 2013. 

Alguns dos artistas já confirmados, estão Pharrell Williams, One Direction, Florence + The Machine e Disclosure.


O nome não é à toa: desta vez, o Festival será todo integrado ao Apple Music com cobertura da rádio Beats 1 e integração dos participantes via Apple Music Connect. O mundo inteiro poderá acompanhar os shows ao vivo via iGadgets, Macs e PCs e Apple TVs.

As entradas continuam gratuitas e fãs que estiverem em Londres no período podem concorrer a ingressos pelo próprio Apple Music.

Campus Party Recife 2015 começou!

A 4ª Edição da Campus Party Recife teve inicio no dia de ontem (23/07) no Centro de Convenções de Pernambuco, e algumas "tradições" antigas do evento voltaram a desagradar os campuseiros e gerar muito mimimi nas redes sociais.


A maior reclamação e mais antiga de qual me recordo foi as enormes filas, cheguei a tuitar que Campus Party sem fila não é Campus Party, as filas já começaram pelo credenciamento e consequentemente se repetiam no raio-x e no cadastro de notebooks e computadores. 

Claro que com 4.000 campuseiros filas iram acontecer e sempre acontecerão em qualquer edição do evento no mundo, claro que para piorar a situação em alguns momentos o sistema ficava fora do ar, atrasando ainda mais o credenciamento e entrada no evento.


Não podemos culpar apenas a organização, duvido que alguém tenha uma solução para credenciar participante e equipamento sem criar filas, mas que pode haver melhorias para agilizar o tempo e diminuir as filas isso é possível. Principalmente pelo fato dos novatos ficarem um pouco decepcionado, mas os veteranos podem nem se incomodar tanto, afinal, já passamos por isso outras vezes :-)


Outro problema relatado além das filas é que vários pontos de rede não estavam funcionando, mas aparentemente um problema que já vinha sendo resolvido pela organização do evento. O frio também foi alvo de muito mimi na internet, mas se fosse o calor também ganharia esse destaque no Twitter como sempre acontece, o clima na Campus é discutido pelos campuseiros.

Não são apenas problemas, a Campus Party tem muito mais pontos positivos do que negativos e começa pela estrutura, nesses três dias os campuseiros terão acesso a mais de 300 horas de conteúdo e conexão à internet de 20 Gb/s.


Se você não pode ir até a CPRecife acompanhe tudo que acontece pelo canal oficial no YouTube, ou se não pode ver ao vivo, a maioria das gravações estará disponível para ser consultada posteriormente.

Campus Party Recife 2015

Começa nessa quinta-feira (23/06) e vai até sábado (26/06) mais uma edição da Campus Party Recif 2015 que esse ano chega em sua quarta edição que será realizada no Centro de Convenções de Pernambuco.


Com o Brasil to tamanho que é, nada mais justo do que realizar duas edições do maior encontro geek do planeta. Seguindo os moldes da 8ª edição da Campus Party Brasil, a CPRecife 4 tem o foco voltado ao empreendedorismo jovem e as startups.

A edição desse ano com 6 palcos e mais 6 espaços para workshops e inclusão digital. Alguns dos magistrais que estarão no palco principal, Palco Terra são Neil Harbisson, Lorrana Scarpioni e Dado Schneider e outros destaques que pisarão nesse palco.


A estrutura de internet novamente fica a cargo da Vivo, patrocinador principal do evento.

Se você é campuseiro de primeira viagem e ainda tem duvidas do que levar ou como se localizar no evento daremos aqui algumas dicas.

1. Nossa primeira dica é dar uma olhada no blog e conhecer mais sobre o evento baseado nas edições anteriores clicando aqui.

2. Outra importante e fundamental dica é cadastrar-se no campuse.ro, rede oficial da Campus com várias informações sobre as palestras e outra atividades que acontecem dentro da arena. Também será através do campuse.ro que você que não foi ao evento poderá assistir ao vivo algumas palestras.

3. Confira toda Agenda da CPRecife 4, lá você tem informação das palestras com data e horário, além da possibilidade de inscrever a palestra desejada em seu campuse.ro.

4. Se localizar é super importante para criar um bom networking além de acompanhar as atividades, por isso veja com antecedência o mapa do evento.

5. Se ainda não tem faça um Twitter e siga a hastag #CPRecife4 para fica ligado em promoções extra oficial, muitas empresas publicitárias e startups usam a rede social para sortear brindes, criar novas atividades e permite uma integração bem legal com os outros campuseiros.



Aproveite o evento ao máximo, pois 3 dias passam bem rápido e a integração com outras pessoas é o mais divertido, por isso não passe esses dias apenas na frente do computador ou dormindo. Boa #CPRecife4 a todos campuseiros.

Microsoft lança Office 2016 para Mac

Passado quase cinco anos a Microsoft finalmente atualizou o Office para Mac, chegando hoje para os assinantes do Office 365 o Office 2016 para Mac.

As novas versões do Word, Excel, PowerPoint, Outlook e OneNote. Todas com suporte completo a telas Retina, visão de tela cheia e gestos multitoque; além de um ribbon consistente com as outras plataformas.


Além de novidades visuais, os aplicativos da suite vem com novos recursos, como o Word que permite que várias pessoas trabalhem em um documento ao mesmo tempo, e que os colaboradores deixem comentários agrupados. O Excel oferece sugestões de gráficos e usa os mesmos atalhos para teclado da versão para Windows. O PowerPoint ganhou uma visão de apresentação melhorada, com miniatura do próximo slide, slide anterior, anotações e um timer. E o Outlook agora tem suporte a push, e organiza seus e-mails em conversas (a versão 2011 já fazia isso mais foi melhorada na 2016).

Assim como já acontecia no Office 2013 para Windows, o Office 2016 para Mac permite salvar seus arquivos direto no OneDrive, OneDrive for Business e SharePoint; e promete manter a formatação dos arquivos, não importa em qual sistema operacional você esteja, (o que me deixou mais feliz entre todas novidades).


Como dito no inicio do post, por enquanto, a suíte está disponível apenas para assinantes do Office do 365 que custa a partir de R$ 21 mensais, oferecendo também espaço no OneDrive e minutos no Skype.

O Office 2016 para Mac estará disponível de forma tradicional, sem assinatura, apenas em setembro. O preço ainda não foi revelado. 


Dica: Se você for professor, funcionário ou estudante do Centro Paula Souza (Fatec ou Etec) provavelmente já possui uma conta seunome@etec(fatec).gov.br que te da direito aos softwares Microsoft e também ao Offie 365.

Todas novidades do Office 2016 você encontra nesse link.


Coisas interessantes que o Google sabe sobre você

Que o Google praticamente monitora tudo que você faz na web, acho que não é novidade pra ninguém. O que poucos sabem é que é possível saber o que a empresa guarda sobre nós e o quanto ela sabe sobre o seu perfil online, com base no seu comportamento.


Nesse post você encontra alguns links interessantes que permite saber um pouco do que o Google sabe de nós.

Interesses comerciais

O Google usa as informações que tem sobre o usuário para oferecer anúncios direcionados para o seu perfil. Para isso, ele o encaixa em diferentes categorias de gostos. Você pode descobrir em: http://www.google.com/settings/ads/

Basta rolar a página até encontrar a opção de Interesses. Clicando em Editar, você consegue descobrir quais são as categorias em que você se encaixa. Mas pode ser algumas delas podem estar erradas, pois lembre-se que o Google faz isso baseado em algoritmos.

Histórico de localização

Uma das coisas mais assustadoras (ao menos eu acho) é um registro detalhado de sua localização. Isso acontece quando você tem um smartphone e permite que a empresa tenha acesso a este tipo de informação para melhorar serviços como o Google Now. Ou seja: isso é opcional.

Você pode ver as informações em: https://maps.google.com/locationhistory


Na lateral, você tem a opção de Excluir todo o histórico, se você preferir que o Google não guarde estas informações sobre você.

Tudo o que você já pesquisou

O Google também registra tudo o que você pesquisa com dados detalhados sobre quais sites você mais acessou a partir das buscas realizadas no site: https://www.google.com/history/

É interessante observar que se você tem o hábito de realizar pesquisas por voz, você também tem seu histórico de buscas guardado, com direito a uma gravação da sua voz fazendo a pesquisa. Você pode conferir aqui: https://history.google.com/history/audio?hl=pt-BR

Histórico no YouTube

Para recomendar novos vídeos, o YouTube guarda informações sobre o que você procura e o que você de fato assiste no serviço. Para conferir seu histórico de busca, acesse: https://www.youtube.com/feed/history/search_history

Para ver tudo o que você já assistiu: https://www.youtube.com/feed/history

E ai, gostou do que viu? Ou ficou assim como eu assustado com algumas coisas, bem se você é daqueles que acham que fazendo as coisas na internet você está escondido e ninguém sabe, está na hora de rever seu pensamento ou simplesmente se desconectar.

via Olhar Digital

Como assistir Netflix na Apple TV com internet porcaria da Vivo

Que eu e a Vivo não somos melhores amigos e já passamos por muitos embates não é novidade para quem lê o blog ou me segue nas redes sociais, o ultimo foi sobre a dificuldade para conseguir a instalação de míseros 2Mbps de conexão banda larga (se podemos chamar isso de banda larga).

Mas o assunto hoje é um pouco diferente, quero ajudar quem passa pelo mesmo problema, ter uma Apple TV e não conseguir usar todo seu recurso pela sua operadora de internet não fornecer uma conexão descente e de qualidade.

Depois que consegui minha mixaria de 2Mbps de internet com a Vivo, vinha enfrentando dificuldades em conseguir assistir a Netflix sem travar, chegou a ponto em que o episódio de uma série travava de 3 em 3 minutos. Pensando em como resolver isso lembrei que minha Apple TV estava configurada para exibir os conteúdos em 1080p HD, e assim a Netflix tentava transmitir os videos nessa resolução que com a velocidade da minha internet não roda sem travar, assim resolvi fazer um teste mudando a resolução de 1080p HD para 720p HD, que mesmo sendo mais baixa ainda assim é uma boa qualidade.

Se você enfrenta esse problema ou coisa parecida, faça o teste e veja se resolve, abaixo configura como alterar a resolução da sua Apple TV.

Primeiro, configura se o iOS da sua Apple TV está atualizado, acessando:

Ajustes → Geral → Atualização de Software.

Com sua Apple TV atualizada para mudar a resolução siga os passos:

Vá em Ajustes → Áudio e Vídeo. Navegue até a opção Resolução de TV. Mude para resolução desejada e pronto.


Claro que seria muito melhor desfrutar de uma alta resolução, mas se você assim como eu depende da boa vontade da safada da Vivo ou qualquer operadora que não te entrega uma boa conexão, essa dica pode ajudar você assistir videos sem se estressar tanto.

Se alguém tiver outras dicas ou sugestões, deixe-as nos comentários. 

Que tipo de pessoa você é?

Navegando por essa internet cheia de informações encontrei no Comunicadores um post que me chamou atenção, post defende a idéia de que existem somente dois tipos de pessoa no mundo.

E você, que tipo de pessoa você é? Deixe nos comentários.






Se gostou, confira mais no tumblr original.

WWDC 2015: Apple Music

Para encerrar a WWDC 2015 Tim Cook usou a famosa frase de Steve Jobs "One more thing" para apresentar ao mundo o Apple Music. Que começou ser apresentando por Jimmy Iovine (executivo internalizado com a compra da Beats, no ano passado).


O Apple Music vai além das capacidades em teste pela empresa no aplicativo para o iOS 8.4, em fase beta, para fornecer streaming ilimitado, rádio, descoberta de músicas e conexão com artistas, tudo em um único lugar.

São milhões de músicas disponíveis para serem ouvidas livremente, via streaming ou offline. A Beats fará parte do serviço fazendo uma ponte entre a Apple e artistas para uma seção chamada Connect, dedicada a reunir conteúdo interativo sobre bandas e compositores.


Na demonstração, a Apple exibiu detalhes de como o serviço permite personalização de acordo com o gosto musical do usuário. A seção “Para Você” (For You) será dedicada exclusivamente para isso.

Também foi anunciado uma rádio 24/7, que oferecerá espaço para músicos trabalharem em uma transmissão ininterrupta através da internet. O serviço também suportará a exibição de videoclipes, sem anúncios.

O Apple Music também tira proveito dos recursos de inteligência do iOS 9. Via Siri, usuários podem pedir para que o serviço reproduza qualquer música no catálogo, com base em estilo, ano de publicação, artistas e muito mais.


O novo ecossistema musical da Apple chegará ao mercado no dia 30 de junho, em mais de 100 países, inicialmente via iTunes para Macs e PCs e através do iOS 8.4, para iPads e iPhones/iPods touch. A Apple também dará em breve suporte à Apple TV e ao Android com um aplicativo exclusivo na Google Play Store, a ser lançado até o final de 2015.

WWDC 2015: Swift 2, Apple Pay, watchOS

Ainda sobre a WWDC 2015, outras novidades foram apresentadas, como como sua linguagem de programação Swift, que chega em sua versão 2 com uma grande mudança: ela será totalmente open source, ou seja, terá todo seu código aberto.


Apple Pay

Além da Swift 2, o que marcou também essa WWDC, foi pela primeira vez a presença de uma mulher no palco, quem teve essa honra foi Jennifer Bailey (vice-presidente de serviços para internet e do Apple Pay), nem preciso comentar qual era o assunto. Jennifer começou falando do sucesso do Apple Pay e de novas parcerias com instituições financeiras.


O que mais chamou atenção foi o anúncio que em julho o sistema de pagamentos móvel chegará ao Reino Unido! Vários bancos e varejistas que já estão comprometidas com o Apple Pay no país. 


Agora o Apple Pay também permitirá a adição de cartões de lojas, para que usuários acumulem pontos/milhas/recompensas mesmo quando usarem o Apple Pay. Com isso o App Passbook morre e entra no lugar o Wallet.


watchOS

Voltando aos sistemas operacionais a Apple unificou a data de apresentação de seus sistemas e anunciou o watchOS, sistema operacional de seus relógios, isso com 6 semanas do gadget no mercado.


Entre as principais novidades estão funções novas para faces, comunicações, exercícios, Apple Pay, Mapas e Siri. Apple também pensou numa nova interface para o Watch enquanto está ligado à energia. Ele pode ser posicionado na horizontal e a interface é adaptada para um relógio noturno, permitindo que a Coroa Digital e o botão lateral sejam funções de despertador.


O watchOS 2 está liberado em versão beta para desenvolvedores e chegará para todos no outono do Hemisfério Norte.